Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
A VIDA VAI ENGOLIR-VOS - Semanal Parte I

A VIDA VAI ENGOLIR-VOS - Semanal Parte I

Teatro & Arte | Teatro

São Luiz Teatro Municipal

Luis Miguel Cintra
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2020
set
01
a
2020
set
10
Realizado

Duração

5 horas

Intervalo

Com Intervalo.

Promotor

EGEAC, Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural

Sinopse

Tónan Quito lança-se à adaptação e montagem das quatro peças principais de Anton Tchékov: A Gaivota, O Tio Vânia, Três Irmãs, O Ginjal. Uma obra em que se descreve a vida de certas camadas da pequena-burguesia daquele tempo, gentes desorientadas e deprimidas, acossadas pelo ruir de uma sociedade em decadência, os vícios e as ambiguidades de uma intelectualidade dividida entre o desejo de transformação da realidade e a sua incapacidade de agir face a essa sociedade. Em todas estas peças somos confrontados com uma questão que perseguia Tchékhov: Como será a humanidade no futuro? Uma pergunta que nestes tempos de incerteza e medo parece perseguir cada um de nós. Através da insatisfação e impotência de ação dos seus personagens, abre-se a possibilidade para pensarmos o absurdo da nossa vida e como mudá-la.

A intenção de Tónan Quito é apresentar essas peças como uma só, primeiro divididas em dois episódios, mostrados em dias e lugares diferentes (em Lisboa, entre o Teatro São Luiz e o Teatro Nacional D. Maria II); e depois, de uma só vez, nos dois teatros, do início da noite até ao início do dia. A protagonista de A Vida Vai Engolir-vos é, assim, a madrugada, altura em que muitas mudanças acontecem nas peças de Tchékhov. A madrugada é o futuro. O que há-de ser! A mudança do velho para o novo; a falência dos velhos costumes; a libertação das velhas verdades, acredita o encenador, que é também um dos atores na peça.

-
Partilhar
Cartão São Luiz